Hoje vamos falar de um assunto conhecido por todas as mulheres, A Síndrome dos Ovários Policísticos



Este é um distúrbio que interfere no processo normal de ovulação por um desequilíbrio hormonal que leva à formação de cistos. Durante o ciclo menstrual a formação de cistos é normal e estes desaparecem espontaneamente. Entretanto, nas portadoras de SOP estes cistos não são eliminados e modificam a estrutura ovariana, dando a característica que descreve a síndrome: o aspecto micropolicístico.

Os fatores que levam ao desenvolvimento da SOP não são totalmente conhecidos, em parte tem componente genético e sofre interferência de fatores ambientais (dieta, exercícios físicos, disruptores endócrinos, hábitos de vida…). A doença cursa com hiperinsulinemia (excesso de insulina no sangue) e com desequilíbrio hormonal, causando ciclos irregulares, além de predispor à doenças cardiovasculares, infertilidade, diabetes tipo 2, obesidade e, com o tempo, câncer.

O diagnóstico depende de uma avaliação completa incluindo investigação desde o inicio da vida ainda na barriga da mãe, exames de sangue e ecografia. O exame de ecografia transvaginal isolado não é o suficiente para fornecer o diagnóstico acertado da SOP. Os sintomas variam muitos, desde apenas irregularidade menstrual até um quadro clássico de obesidade, amenorréia (ausência de menstruação), crescimento anormal de pêlos, oleosidade da pele muitas vezes acompanhada de acne, queda de cabelo e manchas características na pele.

O tratamento deve ser personalizado, de acordo com as queixas e expectativas da paciente, principalmente com mudanças do estilo de vida. Algumas medidas como evitar açúcares, industrializados ultraprocessados; fazer exercícios físicos regularmente e controle de stress (meditação, mindfullness, yoga, centros religiosos, etc) ajudam bastante. Eventualmente algumas medicações ou suplementos serão necessários.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo